Sobre mim e outras coisas, irreais, ou nem por isso...

01
Mar 12

isto da internet, tem as suas coisas boas.

 

pela madrugada adentro, contei com a preciosa ajuda do marido, que num hotel de Barcelona, ia formatando os documentos que lhe fui enviando ao longo da noite.

 

A 2º parte da tese foi entregue. Quer os orientadores gostem ou não, esteja boa ou esteja má, com quase 2 horas de atraso e depois de muito choro e desespero, foi entregue.

Não consigo conceber que tenha demorado mais tempo a compor fotografias, letra assim, espaço assado, a pôr e a tirar ao gosto dos desorientadores, do que a estudar e escrever sobre o assunto...mas isto devo ser eu a ser burra...

 

Pelo meio, e para agravar, nos últimos dias tenho sido mãe e pai, a empregada de limpeza, a engenheira e a gerente de uma empresa que não recebe há meses , de nenhum cliente, quem tem pouco trabalho e o pouco que faz nem sequer tem podido facturar, a filha de uma mãe desconsolada, a mãe de duas filhas chorosas, a neta de um avô que foi para o hospital e aguarda a sua vez de morrer. Talvez hoje, talvez amanhã, talvez do fim de semana...

 

Voltaram as insónias, e já não é só à segunda feira. Votaram as dores de barriga, as diarreias, e a sensação de que vou vomitar a qualquer minuto.

 

Dentro de 15 dias, mais Impostos e ainda mais impostos. Não tenho como pagar.

Ainda não tenho dívidas na empresa, mas também já não tenho mais dinheiro em casa para as pagar, por isso vou passar a ter, mesmo sabendo que tenho dinheiro a receber de clientes, os mesmos que me dizem que não fazem ideia de quando poderão pagar ( os que se dignam a atender o telefone, é claro).

 

Aproximam-se as datas de revisão do carro da empresa e do nosso carro. Dos seguros. A mudança de pneus.

 

Acaba-se amanhã o meu contrato com o Politécnico, pelo que nem o miserável salário menos que mínimo vou receber.

 

No meio disto, eu que sou 98% abstémia, dou comigo a olhar para o congelador, a pensar que, com o gelo, iria fazer um belo Caipirão. Não o fiz. Se não bebo feliz, não é triste que o vou fazer.

 

E por causa do doce, eu sei. Porque já me comecei a vingar  nos torrões de açuca amarelo, no chocolate amargo, no exagero de conida ao almoço, no leite com bolachas depois de jantar, no chocolate e morangos a meio da tarde.

Daqui, só resultarei mais gorda, e mais infeliz, mas nem esta certeza me demoveu do pequeno prazer de cada um dos momentos. Tão pequenos, tão comprometidos, mas os únicos que me deram um bocadinho de ânimo e esperança.

 

 

publicado por na primeira pessoa do singular às 07:00

comentários:
Ninguém que leia o teu post ficará indiferente...
Eu, como me conheço, penso que deixaria os estudos para trás .as minhas forças iam fraquejar.
Mas isso sou eu que desanimo facilmente e a minha cabeça pensa apenas nas coisas más.
Felizmente que há gente que não desiste em realizar os sonhos.
Quanto à tua avó...infelizmente sei a tristeza que é de ver alguém que se aproxima do fim e ultimamente tem sido uma fase terrivel.
Desejo que aconteça o melhor para ela.
Qanto aos teus problemas, desejo que se resolvam rapidamente e que os teus cliente te dêem uma surpresa...pagarem-te o que te devem.
Quanto à comida, se bem me lembro há uns tempos deste-me alguns conselhos para eu me controlar a comer e que não era a comida que ia resolver os problemas.
Tinhas razão.
Beijinho
momentosdisparatados a 1 de Março de 2012 às 09:26

é como se costuma dizer:

Bem prega Frei Tomás, faz o que ele diz, e não o que ele faz...

a teoria , sei-a eu toda.

enfardar tudo o que me saiba bem, não é a solução, são apenas os preliminares de algo bem pior.

mas tenho-me esquecido que nem todos os preliminares são bons.

Selo concurso
limetree
mais sobre mim
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

13
14
17

19
20
21
23

25
30


Selo concurso
limetree
blogs SAPO